Tudo o que der na minha cabeça sobre toku, agora nesse blog!

O início de Tokumei Sentai Gobusters (e Spoiler do primeiro episódio)

Tivemos a conclusão de Gokaiger há duas semanas e no domingo passado, Gobusters teve sua estréia na TV Asahi, no Japão.

A série iniciou muito bem, com um episódio cheio de ação e já mostrando a que veio o novo esquadrão. As roupas estão bem diferentes, parecem jaquetas e os Gobusters tem aquele capacete com óculos saltado pra fora que dá um estilo bem diferente. Nesse ponto, eu acho que a Toei tentou dar uma renovada no visual, assim como foi feito em Gekiranger, a série que saiu após Boukenger. Boukenger comemorava 30 anos de existência do Super Sentai, e quando acabou, a Toei tentou repaginar o gênero. Agora, após Gokaiger, que completava 35 anos de Super Sentai, aparentemente a idéia foi a mesma.

Segundo a história da série, agora a humanidade descobriu uma nova forma de energia limpa, conhecida como Enetron. Essa nova tecnologia é cobiçada por uma organização tida como maligna e conhecida como Vaglas, tendo como seu líder o ser digital de nome Messiah. E para combater Vaglas, foi criado um grupo de elite chamado Gobuster, que há muito tempo vinham sido treinados para essa missão. Eles tem sua base localizada no prédio especial do Departamento de Energia.

A nova série parece mostrar muitas referências a vários ícones nerds ou otakus. A maioria delas é referente aos  famosos Power Rangers.

Como todo mundo já sabe, o bracelete de transformação deles fala “It’s Morphin Time”, a versão em inglês do famoso “É hora de morfar”. O vilão, chamado “Enter”, tem um visual bem futurista, com seu manto com detalhes que lembram cartões digitais. Ele conversa seu chefe Messiah, que tem a forma de UMA CABEÇA gigante e brilhante; e fala com uma voz meio metálica. Já viu isso em algum lugar antes? Por exemplo, dentro de uma sala de comando nos arredores da Alameda dos Anjos?

Não posso deixar de citar que os robôs gigantes inimigos são chamados, olha só que coisa, de “MEGAZORD” (ou Megazoodo, como os personagens falam).  Na segunda cena de luta, ao lado do Ajinimoto Stadium, quando o Red Buster chega, ele pula com a moto e começa atirar no “android do mal” e rola aquela camera lenta, digna dos Power Rangers da era Disney. Parece mesmo que a vontade de homenagear foi grande.

O Red Buster possui sozinho um robô gigante com aparência de estar “completo”, achei isso bacana e de certa forma inovador. O robô fica naqueles galpões onde os vários funcionários do Departamento de Energia podem reparar os danos, lavar, lustrar, etc… O local me lembrou muito Evangelion, embora esse tipo de galpão seja comum em outros animes e tokusatsus, como em Transformers ou Bioman.

Os superiores dos Gobusters também tem algum feeling parecido com o que você via em Evangelion com aquelas mesas que se locomovem, o painel enorme que mostra as batalhas acontecendo  e também quando disparam o robô, abrindo uma passagem de dentro de um prédio. Lá está também a Navigator novata Miho Nakamura, o Comandante Takeshi Kuroki, e o Chefe Operador de Sistema Toru Morishita (a lá Doggie Kruger, mas sem cabeça de cachorro).

E por falar em Dekaranger, a organização que trabalha ao lado dos Gobusters guarda algumas semelhanças (a música das cenas de ação lembra muito!). Quando o chefe dá alguma ordem, ao invés dos outros dizerem “Roger”, como é comum em séries e animes de guerra, eles dizem “Roger Rabbit”. Sim, como naquele filme que misturava desenho. Foi um trocadilho infame e eu juro que não fui eu que fiz!

A Yellow Buster decepcionou um pouco. Ela parece ter uma bexiga no lugar da cabeça (como sou mal….). Mas também, depois da fenomenal Gokai Yellow (Mao Ichimichi), qualquer um ficaria mais exigente, não?

Gostei que, apesar das piadinhas bobas  que apareçam por alguns segundos no primeiro episódio, elas não são o foco da série. Tudo parece ser muito mais focado na ação e nos momentos de espionagem. Até mesmo os Buddyroids não são idiotas e não tem vozes irritantes (falei essa pra você, Mandora Boy).

O Buddyroid do Red Buster lembra muito o Kamen Rider Accel. Talvez por ele ser humanóide, vermelho, virar uma moto e ter detalhes em prata. Quando Red Buster está em sua moto, tudo fica muito vermelho… e pelo que parece, temos mais uma homenagem ao Kaneda do filme Akira.

Os vilões aparentam ter um grande arzenal de Megazords, seus robôs gigantes. Se minha intuição está certa, a série utilizará e reciclará esses mechas modificando algo aqui e ali, assim como em Dekaranger ou Goggle Five. Pouco foi revelado sobre os vilões mas o interessante é que o Enter utiliza a energia Enertron e o Metavirus para tranformar praticamente qualquer coisa num androide maligno….

Após o sucesso de Gokaiger, a Toei teria de suar muito a camisa para conseguir algo bom para a próxima temporada. E com Gobuster, a impressão deixada pelo primeiro episódio e que eles conseguiram. E que venha o segundo episódio!

E como surpresa de re-início do Gamtow, trago a vocês leitores o primeiro episódio legendado. A legenda é do Japasubs e o Encode foi feito por esta pessoa que voz escreve!

Link para download: clique aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s