Tudo o que der na minha cabeça sobre toku, agora nesse blog!

Games

Vídeo de uma entrevista com o produtor de PES 2012, o novo Pro Evolution Soccer!

Se você espera ansiosamente por Pro Evolution Soccer 2012, que tal assistir uma entrevista com o produtor do jogo em Português?

Shingo Seabass Takatsuka fala sobre tudo o que queremos saber sobre o próximo jogo de futebol da Konami! Você tem PS3? Ou Xbox 360? Não importa qual versão, pois as novidades são para ambos os consoles!

Após ver o vídeo, resolva de uma vez! Vai comprar PES 2012 ou FIFA 12???


World of Warcraft a RS15,00 por mês e dublado em português. Você queria mais o quê?

Sim! Isso mesmo! Após 7 anos de seu lançamento, finalmente WoW, ou World of  Warcraft chegará ao Brasil pela Blizzard. E sua mensalidade será mais barata que a americana: apenas 15,00 Dilmas, contra as US$15 doletas pagas pelos americanos.

E para convencer que valerá a pena jogar no servidor nacional, o jogo terá tradução em nosso idioma, tanto nos textos como nas falas. Lembram que no ano passado a Blizzard fez um ótimo trabalho com Starcraft II? Espera-se que o mesmo empenho seja dado ao WoW.

O pacote inicial do game, que inclui World of Warcraft, a primeira expansão The Burning Crusade e um mês de acesso gratuito, custará R$29,90 e poderá ser encontrado normalmente, em lojas de games. As expansões como Wrath of the Lich King e recente Cataclysm custarão R$99,90 cada e qualquer uma dessas compras podem ser feitas via online no Battle.net, com várias opções de pagamento, inclusive boleto bancário. Só não vai ter quem não quiser!

Quem já jogava o game em inglês poderá migrar sua conta para a nacional e manter tudo o que já conquistou.

World of Warcraft é o MMO mais popular de todos os tempos, por muitas vezes, ele foi tema de seriados como The Big Bang Theory, e jogado por pessoas famosas com Van Damme e em breve terá um filme baseado em seu mundo.

No Brasil existe muita gente que já jogava a versão internacional. Um grupo até mesmo criou uma animação sobre o jogo mostrando o que se passam nas batalhas, cidades e cenários do game. Dê uma olhada e prepare seu bolso pois WoW versão brasileira estará disponivel até o fim de 2011! Azeroth vem aí!!!!!

ANIMAÇÃO FEITA POR FÃS

 

Trailer de THE BURNING CRUSADE legendado

 

Trailer de WRATH OF THE LICH KING legendado

 

Trailer de CATACLYSM legendado


Namco divulga vídeos de Dragon Ball Z Ultimate Tenkaichi na Comic-Con 2011

Após os não tão bem recebidos Dragon Ball Raging Blast 1 e 2, a Namco Bandai prepara mais um game da série, Dragon Ball Z Ultimate Tenkaichi. Aliás, sabe o motivo dos Raging Blast não terem Z no nome? Eles foram lançados enquanto a série Dragon Ball Kai passava no Japão, que na mais é do que uma versão em maquiada do Dragon Ball Z em versão HD e com abertura diferente.Com isso, quem tivesse como referência a versão antiga “Dragon Ball Z” ou a nova “Dragon Ball Kai”, poderia comprar o mesmo jogo, já que a história é a mesma.

Como o desenho não foi para frente, e acabou antes de ter todos os episódios do DBZ remasterizados (foi até o fim da Saga do Perfect Cell e não chegou na fase do Majin Boo), a Namco voltou atrás e colocou o “Z” no título do novo game, afinal, Dragon Ball Z é um nome muito mais conhecido que o Kai.

Um grande problema que o Kai pode ter gerado é que ele foi vendido para vários países para ser exibido, como o Brasil, e é tratado como um produto novo. Ou seja, muitos canais devem estar passando o Kai como se fosse uma coisa nova e ignorando os antigos desenhos da série, só que ele não termina toda a história do Goku da fase Z. Significa que o novo público do anime pode acabar ficando sem assistir a fase de Majin Boo ou a fase seguinte de Dragon Ball GT.

Mas, falando do game, ele tem uma engine totalmente nova, comparando com os dois games anteriores, e gráficos usando um novo estilo de cel-shading. As batalhas são em campos abertos, como eram nos antigos Dragon Ball Z Tenkaichi Budokai do PS2.

Raging Blast 1 e 2 tinham comando muito simplificados, bastava somente tocar no direcional analógico para soltar um KAMEHAMEHA, e isso desapontou os gamers mais hardcores. Aparentemente, o próximo game exigirá um pouco mais e será possível diferenciar os jogadores mais experientes e os amadores.

CG TRAILER:

GAMEPLAY:


10 maiores jogos da série Castlavania – parte 2: Bloodlines(Mega Drive) e Portrait of Ruin(DS)

BLOODINES e PORTRAIT OF RUIN

CASTLEVANIA: BLOODLINES
Megadrive/Genesis (1994)

“A família Morris em algum momento teve ligações de sangue com a família Belmont e, por causa disso, acabou herdando o chicote Vampire Killer. Quincy Morris, em 1897, derrotou Drácula, mesmo não podendo usar todo o poder do chicote por não ser um autêntico Belmont.

A paz na Europa foi restaurada mais uma vez, até a eclosão da Primeira Guerra Mundial, transformando o continente num verdadeiro mar de sangue.

Nos primeiros anos da guerra, em junho de 1914, em Sarajevo, o príncipe da Áustria foi assassinado. Pessoas diziam que o assassino era uma misteriosa mulher.

Essa mulher era Elizabeth Bartley, sobrinha do Conde Drácula. Elizabeth realizou uma cerimônia demoníaca que lhe deu controle sobre as almas humanas na Europa. Assim ela manipulou os exércitos, causando as desgraças da Primeira Grande Guerra.

O castelo de Drácula surgiu novamente. E não somente o castelo, mas vários países da Europa foram infestados por mortos vivos e monstros seguidores de Drácula.

John Morris

John Morris, filho de Quincy Morris e atual portador do chicote Vampire Killer; e Eric Lecarde, conhecido de John, perdeu sua namorada por algum motivo inexplicável, mas algo dizia a ele que a resposta estaria no castelo do Drácula. Ele possui a Lança de Alucard, confiada a sua família pelo próprio Alucard. Ambos seguiram por toda a Europa para exterminar todos aqueles que seguiam Drácula.

Eric Lecarde

Ao chegar no castelo, eles descobriram que Elizabeth Bartley havia sido revivida pela bruxa Drolta Tzuentes. E Gwendolin, a namorada de Eric, foi uma de suas primeiras vítimas após sua ressurreição.

Eric Lecarde então enfrenta Elizabeth. Enquanto isso, John vai atrás da bruxa Drolta. As duas são derrotadas, mas já era tarde demais, Drácula foi revivido mais uma vez.

Elizabeth Bartley

A batalha é difícil. John Morris não pode utilizar toda a força do chicote, mas, combinado com a força de Eric e a Lança de Alucard, eles vencem mais uma vez o Conde das Trevas. O mundo volta ao normal novamente.”

Bruxa DroltaTzuentes

Este jogo trouxe ao Mega Drive o gostinho dos jogos da série “Castlevania“. A jogabilidade remete aos primeiros jogos de NES e é muito boa, mesmo não tendo o chicote direcionável ao se segurar o botão. Tanto John como Eric tinham outras habilidades nunca antes vistas na série, como o superpulo. Os itens sagrados, usados por John, podem ser “turbinados”, criando versões muito mais poderosas, em compensação gastam muito mais pontos de cristal (pontos de coração nos outros jogos da série).

Conde Drácula

Os gráficos são dos melhores do console e as músicas foram compostas por Michiru Yamane: este foi seu primeiro trabalho. Mais tarde, Michiru compôs uma de suas melhores trilhas em “Symphony of the Night”. As músicas da segunda e quarta fase já foram reutilizadas em outros jogos da série também.

Um dos melhores jogos com jogabilidade clássica com certeza. Merece ser jogado!

Veja o gameplay completo:

CASTLEVANIA: PORTRAIT OF RUIN
Nintendo DS (2007)

Em 1944, o mundo vivia o caos. A Segunda Guerra levou milhões de humanos à morte e destruiu nações, promovendo a dor e a desgraça pelo mundo.

Todas essas forças negativas facilitaram o retorno da existência do castelo das trevas, pertencente ao Conde Drácula. Ainda não era tempo, e ele não voltaria por meios normais.

Mesmo assim, o castelo emergiu novamente. Jonathan Morris, filho de John e agora o atual possuidor do Vampire Killer, seguiu para o castelo na tentativa de impedir que o mundo sofresse ainda mais. Junto dele estava Charlotte Aulin, feiticeira expert e descendente da família Belnades.

Jonathan Morris e Charlotte Aulin

Os dois chegam à região do castelo com a ajuda do padre Vincent, que foi enviado para ajudar na missão. Castelo adentro, eles vasculham, procurando Drácula. Então acabam descobrindo que o responsável pelo ressurgimento do castelo é o vampiro artista Brauner, com o objetivo de espalhar o caos pelo mundo. Brauner, assim como fez Elizabeth Bartley no passado, utilizou as almas dos humanos mortos na, agora, Segunda Guerra Mundial para reviver o castelo de Drácula.

Padre Vincent

Eles acham também um fantasma que vaga pelo castelo conhecido como Wind. Wind por algum motivo está preso ao castelo e, mesmo sendo um fantasma, retém suas memórias de quando ainda era vivo, embora não goste de falar sobre isso. Ele auxilia os dois, servindo de mentor e dando-lhes poderes para enfrentar os desafios do castelo.

Fantasma Wind

Jonathan e Charlotte notam que por todo o castelo existem quadros feitos por Brauner. Charlotte analisa um desses quadros e percebe que nele está contido um poder que mantém aquela área do castelo em poder de Brauner. Então, se eles neutralizarem o poder do quadro, iriam aos poucos tirar o controle do castelo de Brauner. Os dois passam a entrar no mundo contido nos quadros para eliminar os monstros contidos neles e enfim neutralizá-los.

Vampiro Brauner

No castelo eles se deparam com Stella e Loretta, ambas vampiras que estão ao lado de Brauner. Elas acabam revelando que, ao neutralizar um quadro, Jonathan e Charlotte enfraqueceram a influência de Brauner sobre o castelo.

Loretta e Stella

Mais tarde eles acabam se deparando com o próprio Brauner, que diz não ter qualquer ligação com Drácula e que não pretende ressuscitá-lo, ele quer sozinho dominar os poderes do castelo. Jonathan e Charlotte se deparam com a Morte a qual acredita que Drácula foi revivido. Jonathan lembra das palavras de Brauner e fica em dúvida sobre o fato. A Morte então parte, pensando numa forma de usar os dois caçadores de vampiros para seu próprio benefício.

Jonathan e sua companheira seguem para a Torre da Morte. Lá eles enfrentam Stella. Esta derruba um pingente que revela a verdade sobre ela e sua irmã gêmea: elas são filhas de Eric Lecarde. Wind surge e assume ser o fantasma de Eric Lecarde, seu poder conseguiu manter sua consciência em seu espírito, mesmo após ter morrido.

Wind pede para que Jonathan e Charlotte busquem uma forma de restaurar a vida de suas filhas. Após muito vasculhar o castelo, Charlotte descobre uma forma de aprender a magia Sanctuary, capaz de destruir a maldição do vampirismo, dando o descanso eterno aos mortos vivos e a humanidade de volta aos vampirizados. Assim, os dois partem procurando as duas irmãs para curá-las.

Os dois grupos se enfrentam, Jonathan e Charlotte vencem. Stella e sua irmã Loretta, após a derrota, recobram suas consciências originais. Elas revelam que podem despertar os verdadeiros poderes do chicote Vampire Killer, mas isso poderia ser mortal para Jonathan, por não ser um Belmont legítimo. Jonathan resolve encarar o desafio. Então as irmãs fazem com que Jonathan enfrente a memória do chicote, Jonathan deve vencer o espírito do lendário Richter Belmont.

A batalha é dura, mas Jonathan vence e se torna um legítimo herdeiro do chicote.

Eles abrem caminho para o estúdio de Brauner, dentro do castelo. Jonathan e Charlotte encaram Brauner. Durante a batalha, os dois conseguem ferir gravemente Brauner. Este tenta continuar a lutar, mas a Morte surge e o elimina. Com a morte de Brauner, o feitiço que lacrava o Salão do Trono do Castelo desaparece, libertando a alma de Drácula mais uma vez.

A Morte

Jonathan e Charlotte vão para o Salão principal… Os dois adentram o recinto e ambos estão prontos para a luta final. Do outro lado estão Drácula e a Morte, pela primeira vez eles lutam lado a lado. Infelizmente não são páreo para os poderes de Jonathan e Charlotte, e acabam derrotados.

Drácula

O castelo vem abaixo, mas Jonathan, Charlotte, Stella e Loretta escapam. Eric Lecarde se liberta do vínculo com o castelo e pode finalmente descansar em paz, mas, antes de partir, ele se despede de suas filhas.

Wind, vulgo Eric Lecarde

No fim eles saem em busca de Vincent que desapareceu. Eles acreditam que ele esteja entre os escombros do castelo, sem saber que Vincent estava na verdade tentando alcançá-los.

Trailer para te fazer ficar com vontade de jogar o jogo:

Jogabilidade

O jogo é muito bom… Lançado logo após “Castlevania Dawn of Sorrow”, você não sente a falta de poder coletar vários poderes, pois, apesar de não mais absorver o poder de todos os inimigos do castelo, a dupla de protagonistas tem uma infinidade de ataques habilitáveis, tanto em separado como em conjunto.

Jogar com dois personagens ao mesmo tempo trouxe novas possibilidades de puzzles e habilidades. Viajar pelos quadros também possibilitou novos cenários nunca antes explorados pela franquia. Essa ideia veio da possibilidade de se poder jogar por toda a Europa em “Bloodlines”, desta vez os alvos foram vários locais pelo mundo.

Poucos sprites foram reaproveitados dos jogos anteriores e todos os novos têm uma ótima qualidade. É muito legal ver vários personagens de jogos anteriores reaparecendo… Existe até uma magia secreta que invoca outros personagens não citados neste review!

Ponto para o Konami!


Novidades no PES – Pro Evolution Soccer 2012 para Xbox 360 e PS3 terá a opção de controlar vários jogadores ao mesmo tempo!

A Konami Digital Entertainment Inc. revelou hoje as inclusões feitas em PRO EVOLUTION SOCCER (PES) 2012, que darão aos usuários maior controle sobre a ação dentro de campo do que em qualquer outro jogo de futebol já feito. O novo sistema para o Controle de Companheiros de Equipe – que dá aos usuários controle total sobre os jogadores secundários enquanto o corredor tem a posse da bola – representa um surpreendente avanço para a série.

CONTROLANDO O TIME TODO

Anterioremente, a KONAMI já havia delineado o novo sistema para a seleção de jogadores no qual qualquer jogador pode ser selecionado e controlado como uma parte do conjunto, mas o novo sistema dará aos jogadores de PES 2012 liberdade total em todas as áreas. O sistema para o Controle dos Companheiros de Equipe funciona de duas maneiras, com os usuários pressionando o stick analógico direito na direção do jogador que eles desejam controlar. O modo de Assistência permite que o usuário ative um segundo jogador ao soltar o botão R3, permitindo que os usuários se familiarizem com o maior controle por meio de eficientes movimentos de corrida. O maior controle está disponível no modo manual, no qual os jogadores possuem liberdade total de movimentos para o segundo jogador, podendo fazer penetrações para lançamentos, abrir espaço e se livrar da marcação antes de pedir o passe para o jogador que ainda estiver com a bola. O jogador será revertido para o controle do computador quando o botão R3 for liberado, e também pode ser usado para substituir qualquer corrida da IA que o jogador quiser cancelar. Ambos podem ser usados a qualquer momento para que os jogadores possam se movimentar sem ter que esperar o passe ser completado.

NOVOS ELEMENTOS DE AI

O PES 2012 já adicionou inúmeros novos elementos da AI para assegurar que a ação dentro de campo reflita com realismo o futebol do mais alto nível. O sistema AI ativo assegura que os jogadores acompanhem os atacantes com mais eficiência, mas sem comprometer a formação da equipe, enquanto as situações cara a cara oferecem maior controle à medida que os defensores pressionam e brigam para ganhar a posse de bola e os atacantes podem usar o jogo de corpo para deixar para trás a marcação.

O produtor da série Shingo ‘Seabass’ Takatsuka e sua equipe baseada em Tóquio também confirmaram um segundo lote de adições de boas vindas, muitas das quais foram incluídas graças a consultoria com fãs de futebol e do PES em todo o mundo. Os pênaltis no PES 2012, por exemplo, foram totalmente retrabalhados e agora usam uma câmera por trás do batedor, com os jogadores determinando a posição, a força e a colocação de cada chute. Os chutes a gol também foram melhorados, com os vários atributos de cada jogador sendo levados em consideração, como ritmo, tempo de bola e o posicionamento do corpo do chutador, para reduzir o esforço. As fintas na hora do chute também retornaram, com o jogador se movendo para enganar o goleiro, enquanto o jogador pode se reposicionar para melhorar a sua chance.

A MOVIMENTAÇÃO

Juntamente com essas adições aos chutes, a movimentação e a reação em todos os outros lugares também foram grandemente melhoradas. Um tempo valioso foi eliminado da reação dos jogadores, e as melhorias gerais às animações por meio de movimentos e mudanças no bloqueio do fluxo para os elementos de contato com a bola, resultaram em uma melhoria de três frames no tempo de resposta, o que significa que os jogadores são mais rápidos para correr atrás da bola, alterar e adequar suas corridas ou assumir o controle de um defensor. A velocidade com a qual o jogador corre também foi melhorada, tornando os movimentos rápidos mais fluídos e naturais. De maneira vital, o controle já não é totalmente perdido quando se perde a posse de bola, com os jogadores se recuperando rapidamente para tentar recuperar a bola, ou fechando os espaços quando voltam para a defesa.

Todas as habilidades agora podem ser refinadas com o retorno do aclamado modo ‘Desafio de Treinamento’. Uma parte do folclore do PES – O Desafio de Treinamento – dá ao jogador uma série de testes difíceis que podem ser usados para aprimorar suas habilidades. O modo permite aos usuários trabalhar duro em suas habilidades de ataque e defesa para melhorar o seu jogo. Da mesma forma, existem desafios de drible e de bola parada que exigem o cumprimento de uma série de metas e tarefas, com tarefas de punição sendo usadas ​​para forçar o jogador, enquanto eles dedicam horas ao treinamento que fará toda a diferença em campo.

A estética do PES 2012 também foi refinada, com a movimentação geral dos jogadores agora estando mais fluída do que nunca, com as animações seguindo-se com incrível atenção aos detalhes. Tal é o nível da finesse gráfica que você pode ver os jogadores suando, os músculos tensos no pescoço, o modo como eles pedem a bola e dão ordens uns aos outros, com os músculos em suas bocas e em torno de seus olhos se contorcendo para mostrar as emoções que os jogadores estão experimentando. Isso é reforçado por meio de uma iluminação dinâmica que cria sombras e reflexos em tempo real. Com a manutenção do uso exclusivo das licenças da UEFA Champions League™ e da UEFA Europa League™, os árbitros que apitam esses encontros, também usarão os uniformes oficiais da UEFA Campeões League™.

UMA ATENÇÃO MAIOR AOS DETALHES

A atenção aos detalhes também se estende às circunstancias em torno de cada partida. Do aquecimento dos jogadores antes do jogo, à preparação no túnel antes de entrar em campo, enquanto os técnicos podem ser vistos patrulhando a linha lateral enquanto as câmeras sobem e descem para cobrir toda a ação. Os jogadores também pegam a bola em preparação para a cobrança de um lateral, e os aspectos físicos de um modo geral estão melhorados, com os jogadores reagindo de acordo com a maneira como eles são desafiados, tropeçando ou caindo de acordo com a severidade da dividida.

“A adição do Controle dos Companheiros de Equipe é algo em que temos trabalhado há um bom tempo, e estamos muito felizes por inaugurá-lo no PES 2012”, comentou Jon Murphy, Líder da Equipe Européia do PES para a Konami Digital Entertainment GmbH. “Estamos trabalhando para criar um sistema de controle a fim de permitir que o jogador faça o que ele quiser em campo e a habilidade de controlar manualmente um segundo jogador enquanto corre com a bola abre todos os tipos de opções de ataque. Juntamente com os avanços na AI Ativa que asseguram que os jogadores de apoio passem para abrir espaço, acredito que demos um grande passo rumo a produção do título de futebol mais avançado até hoje”.

“Esse é o começo de uma nova e importante era para o PES”, completou Murphy. “Nas próximas semanas divulgaremos mais detalhes sobre como a sempre popular Master League evoluiu e estaremos revelando a nova cara da série. Com o PES sempre avançando, chegou a hora de apresentarmos uma estrela popular e habilidosa para a capa. O novo jogador tem todos os atributos do novo jogo, ele é forte, polivalente, habilidoso, rápido, e capaz de fazer mágica acontecer em campo. Tivemos um tempo maravilhoso ao trabalhar tão de perto com Lionel Messi e agrademos a ele por seus esforços e apoio, e revelaremos quem será a cara do PES 2012 muito, muito em breve “.

VONTADE DE JOGAR!

Fala aí se essas novidades não dão mais vontade de jogar PES 2012? Até eu que não sou muito de jogar futebol no videogame estou curioso com essas novidades que finalmente chegaram à série! Será que PES 2012 (ou Pro Evolution Soccer 2012) conseguirá vencer o FIFA 12? Ambos os jogos serão lançados até o fim deste ano e é possível que uma versão demo de PES possa ser baixada de graça antes mesmo de seu lançamento.

Qualquer novidade que e souber, postarei aqui no GTW!


Conhece o passado de Kratos e sua história antes do primeiro God of War?

Você sabe quem é o Kratos? Você que já terminou os jogos da série, sabe com quem estava jogando?

Não? Então se você ignorou a história do game e partiu logo para a porrada, aqui vai um resumo da vida de Kratos.

De uma relação de amor proibida entre o Deus Grego Zeus e uma mortal, nasce uma criança. Existia uma profecia que dizia que se Zeus tivesse um filho com uma mortal, essa criança um dia o mataria.

A mulher então, a mando de Zeus se livra da criança, abandonando-a na estrada. Um tempo depois, um guerreiro de Esparta encontra essa criança e a coloca no treinamento para o exército de Esparta.

Durante o treinamento, Kratos foi evoluindo de forma espantosa se sobressaindo dentre os outros. Sua maior virtude era sua coragem, ele aceitava qualquer tarefa e qualquer prova. Por isso ganhou o nome de Kratos, que era o mesmo nome de um Titã filho de Pallas e Estige.

Kratos viveu sozinho por muito tempo, seu jeito violento de ser o afastava das pessoas. Uma vez um garoto se aproximou dele, acabaram ficando amigos e um começou a ajudar o outro em suas tarefas. Kratos então teve alguém para se preocupar, considerando seu amigo como um irmão. Com o passar do tempo, Kratos foi ganhando respeito pelos seus supervisores e acabou sendo mandado para o exército aos 16 anos.

Nessa época, foi separado de seu irmão. A separação foi sofrida e, sentindo que tinha sido abandonado, o irmão de Kratos passou a odiá-lo e também a sentir inveja por não ter sido mandado para o exército. Depois de um tempo ele morreu e, por seu todo seu ódio, acabou indo parar no Tártaro, o inferno grego. No Tártaro, ele treinou com todas as suas forças até que se tornou mais forte e mais brutal que Kratos. Ele praticamente acabou se tornando um demônio e prometeu vingar-se de seu irmão que um dia o traiu e o abandonou.

Kratos nunca havia sido derrotado, até que uma vez enfrentou o poderoso Rei dos Bárbaros e seu imenso exército. Próximo da derrota, Kratos fez um pacto com Ares, o DEUS DA GUERRA. Em troca de sua vitória, Kratos seria leal a Ares daquele dia em diante.

Cumprindo seu pacto, Ares deu a Kratos as lendárias Blades of Chaos, as lâminas ligadas em correntes incandescentes e presas em seus braços. Como símbolo do pacto entre os dois, Kratos passou a usar as Blades of Chaos para derrotar hordas e hordas de inimigos.

Kratos foi se tornando mais violento e todos o temiam cada vez mais. Ares queria tornar Kratos o soldado perfeito e o enviava a missões mais e mais perigosas. Havia somente um motivo que fazia com que Kratos não perdesse sua humanidade, sua mulher e filha.

Ares não estava satisfeito com seu guerreiro quase perfeito, ele queria mais poder para seu escravo de guerra. Por isso enviou Kratos a uma armadilha. No Templo da Aldeia, um local feito em homenagem à Deusa Athena e protegido por um Oráculo, era guardado o segredo sobre a origem de Kratos. Ares ordenou que Kratos invadisse o local e matasse a todos. O Oráculo do local alertou Kratos, dizendo que ele se arrependeria amargamente se naquele lugar entrasse.

Ignorando o conselho, Kratos adentrou o local e ali matou a todos com sua costumeira fúria, beirando a insanidade. Foi então que ele percebeu que acabara de cometer o maior erro de sua vida. Dentre as pessoas do local, estavam sua mulher e filha, mortas por suas próprias mãos.

Ares havia eliminado o maior problema que afastaria Kratos de ser o soldado supremo. Mas quem poderia imaginar que o mais violento soldado espartano jamais abandonaria o amor que tinha pela sua família?

Kratos cremou os corpos de sua mulher e filha. Todo o remorso que Kratos sentia fez com que ele desejasse mais do que tudo que a alma de sua mulher e filha ficassem com ele para sempre. Então as cinzas que se soltavam das chamas dos corpos se prenderam ao corpo de Kratos, deixando-o com a aparência acinzentada que conhecemos dos games. Todos poderiam então ver nele o crime que cometeu e que para sempre o acompanharia, não importando para onde fosse, tornando-se assim o lendário Fantasma de Esparta.

Essa é a história que se passa antes do primeiro “God Of War”, que é concluída agora em “GoW3”, para PlayStation 3.


10 maiores jogos da série Castlavania – parte 1: Castlevania(NES) e Lament of Innocence(PS2)

Eu voltei…. para o blog que eu deixei….

Primeiramente, gostaria de avisar que eu voltei a atualizar meu blog.  Faz tempo que não posto nada nele, mas quero voltar a escrever sobre games, tokusatsu e o que me vier na telha. Embora eu esteja em férias do serviço e da faculdade, estou também fazendo TCC ou TFG, e isso toma muito do meu tempo. Ainda assim, vou tentar postar alguma coisa no blog para não deixá-lo parado.

É isso! Espero que eu consiga fazer tudo o que me programei para fazer, hehehe!

Vamos à matéria!

Em Agosto do ano passado, tivemos uma sexta feira – 13. E, para comemorar, fiz um review especial de Castlevania, com 2 jogos da série sendo comentados por dia, desde segunda até sexta-feira.

Nada melhor do que fazer um apanhado da maior franquia de terror e ação de todos os tempos: “Castlevania”!

CASTLEVANIA e LAMENT OF INNOCENCE

Como são muitos jogos, não dá para comentar todos. Esses são os que eu considero melhores na série, mesmo assim, não consegui colocar todos que eu gosto.

Os inúmeros títulos de “Castlevania” fizeram fama no mundo todo desde o primeiro jogo lançado para Famicom Disk System, em 1986 no Japão. De lá para cá, muita coisa mudou: estilo de artwork, modo de jogo, elaboração de histórias. Mas todas seguem um mesmo foco: derrotar o Conde Drácula e seu Castelo ressurgido das trevas.

Hoje falarei sobre o primeiro “Castlevania” e o “Castlevania Lament of Innocence”, um por ser o primeiro de todos os jogos lançados e o outro por ser o primeiro na linha cronológica da série.

Vamos aos reviews!

CASTLEVANIA

Famicom Disk System/NES (1986)

“No ano de 1691, as terras da Transilvânia viviam a paz por exatos cem anos. Os habitantes da região prosperavam e nem sequer lembravam do seu passado negro, dominado pelas trevas, pestes e doenças. Infelizmente, os dia de alegria estavam no fim. Exatamente naquele ano, o Conde do Mal, Drácula, estava prestes a ressurgir, trazendo consigo seu labirinto demoníaco, conhecido também como seu castelo amaldiçoado. Seu exército de seres malignos e mortos vivos estava se preparando para dominar outra vez a humanidade.

Simon Belmont versão NES

Então, dentre o povo, surge um herói, aquele que iria derrotar Drácula definitivamente. Este é Simon Belmont, bisneto de Christopher Belmont. Munido do lendário chicote, conhecido como Vampire Killer, ele parte para a região onde está o castelo do Conde Drácula.

Primeira parte do gameplay do jogo

Vampire Killer é um chicote místico, a lenda diz que no passado ele recebeu um encanto para poder derrotar Drácula e todos os seus asseclas. Durante gerações esteve com os pertencentes à família Belmont, chegando a ficar com os Morris até que voltasse às mãos dos Belmonts novamente. Os Morris podiam utilizar o chicote, assim como os Belmonts, devido a sua ligação de sangue entre as famílias.

  Simon versão PlayStation One

No castelo, Simon Belmont derrota todos os monstros que aparecem pela frente, como o Morcego Gigante, a Múmia e o Frankenstein… Chega até mesmo a enfrentar a temível Morte, fiel escudeira de Drácula, e acaba por vencê-la.

 Segunda (e última) parte do gameplay do jogo

Corajosamente, Simon vence Drácula, mas esse não foi o fim de tudo. Prestes a ser derrotado, Drácula joga uma maldição em Simon. Portando essa maldição, o mundo não estaria livre das desgraças trazidas por Drácula. Sete anos depois, no segundo jogo, ‘Castlevania II: Dracula’s Curse’, o espírito de Drácula reapareceu… Então Simon teve de visitar várias regiões da Europa para buscar os pedaços do corpo do Drácula. Assim que os juntou, teve de levá-los ao castelo do próprio Drácula, para ressucitá-lo e poder pôr um fim verdadeiro ao Senhor das Trevas.”

Simon versão “Conan” do SNES e versão “EMO” do “Castlevania Judgement” do Wii

“Castlevania” foi lançado com características de jogo de plataforma da época, influenciado por “Mario Bros.”. O primeiro jogo era curto, teve apenas 6 fases, com progressão lateral. As fases se passavam todas dentro do castelo. Em alguns remakes, como o “Super Castlevanis IV”, do SNES, algumas áreas fora do castelo foram mostradas.

Primeiro desenho oficial do Drácula

A Morte é o chefe mais infame do jogo, devido a sua altíssima dificuldade, sendo mais difícil que o próprio Drácula. Essa é a versão que mais recebeu remakes para os mais variados consoles.

CASTLEVANIA – Lament of Innocence

PlayStation 2 – 2003

Durante o século 11,  os monarcas perdiam sua força devido aos desentendimentos com os feudos e os cavaleiros. Ao mesmo tempo, a Igreja Católica passava por muitas reformas, dando início às Cruzadas, com o objetivo de ganhar força política e continuar tendo poder sobre as pessoas.

Leon Belmont e Mathias Cronqvist eram dois valorosos cavaleiros que lutavam pelo reino, até que foram convidados a lutar nas Cruzadas. Mathias, em particular, era um exímio estrategista. Certa vez, ambos concluíram plenamente uma de missões, mas Mathias sofreu uma grande perda. Ao retornar das Cruzadas, ele foi informado que sua esposa Elizabetha havia morrido.

Leon Belmont

Mathias passou um ano tentando abafar seu sofrimento. Após isso, Leon o convidou a continuar lutando em nome de Deus nas batalhas. Eis que um grupo de monstros surge e ataca a região onde eles estavam, vindos de uma área conhecida como Floresta da Noite Eterna.

A igreja não combatia os monstros, pois não não tinha motivo para atacar algo que não fosse humano, e que obviamente não tivesse um interesse político. Leon não conseguiu permissão para enfrentá-los, mas mesmo assim parte para o combate.

Mathias Cronqvist

Seu amigo, Mathias, descobre que a noiva Sara Trantoul havia sido raptada por um vampiro muito poderoso, chamado Walter Bernhard e avisa Leon que esse vampiro estaria na Floresta da Noite Eterna. Leon Belmont renuncia ao seu título de barão e se alia ao alquimista Rinaldo Gandolfi, que conhece as atividades de Walter Bernhard e já teve problemas passados com o vampiro.

Sara Trantou

Rinaldo dá a Leon um chicote feito pela alquimia que o ajudaria contra os possíveis inimigos. Leon, então, acha o castelo amaldiçoado de Walter no meio da floresta e o invade. Ele derrota os 5 protetores do lugar, abrindo caminho para o salão principal. Ao vê-lo, Walter acha graça das atitudes de Leon. Em seguida, manda o vampiro Joachim Armster acabar com Leon.

Joachim era um humano que foi vampirizado por Walter. Após trair Walter, Joachim foi aprisionado no castelo. Walter então o manda derrotar Leon, para poder se libertar mais uma vez.

Vampiro Walter Bernhard

Leon derrota Joachim e Walter liberta a esposa de Leon. Joachim, então, conta que Walter possui a Ebony Stone (pedra do ébano), uma pedra que dá poderes fantásticos a quem a possuí-la e também cria a noite eterna naquela floresta. Leon também descobre que sua amada foi vampirizada por Walter, sendo assim, ela não pode se afastar do castelo amaldiçoado, pois iria perder suas forças aos poucos e morreria caso o fizesse.

Vampiro Joachim Armster

Rinaldo aparece e diz que Walter uma vez vampirizou sua filha e ela matou sua mulher e filho. Para acabar com o problema, ele teve que matar sua própria filha.

Leon pensou em derrotar Walter para liberar Sara, mas a mordida dele a infectou, e parte dele está dentro dela agora. Se ele derrotasse Walter, o mal dele iria continuar dentro dela, não importa o que ele fizesse. Então Rinaldo sugere que a única forma de vencer Walter completamente é eliminando Sara com o Chicote da Alquimia, podendo assim absorver o mal de dentro dela.

Leon se enraivece ao ver que essa seria a única solução, mas reluta em matar sua própria amada. Sara se dispõe a se sacrificar e pede a Leon que o fizesse.

Sem outra alternativa e atendendo ao último pedido de Sara, ele a mata e seu chicote absorve o mal que havia dentro dela, tornando-se assim o Vampire Killer (eis o motivo pelo qual o chicote não se chama “Dracula’s Killer”, afinal, ele serve para matar qualquer tipo de vampiro).

Enfurecido, Leon parte para encontrar Walter e consegue derrotá-lo. Mas, no momento em que estava para se desfazer, a Morte aparece e transfere a alma de Walter para aquele que possui a Crimson Stone, a outra pedra com os mesmos poderes da Ebony Stone. Assim a Morte realiza a vontade daquele que ela seguia.

E essa pessoa era Mathias Cronqvist. Ele revela que se tornou imortal através do poder da pedra. Ele diz agora amaldiçoar a Deus por Ele ter tirado a pessoa que ele mais amava. Então ele planejou tudo para que Leon passasse pela mesma situação a fim de conseguirem as duas pedras, tornando-se imortais. Obviamente, Leon discorda de seu amigo, afirmando que Deus não tem nada a ver com isso.

Mathias já esperava que isso fosse acontecer, então manda Leon para uma dimensão paralela, onde enfrenta a Morte. Após derrotá-la, ele enfrenta Mathias.

Este também é derrotado, mas acaba fugindo, transformado-se num enorme morcego indo para um mundo obscuro, onde continuaria com seu ódio por Deus. Após isso, ele não seria mais visto por cerca de 400 anos.

Leon escapa do castelo, que entra em colapso, e consegue encerrar a batalha contra Drácula por certo tempo.

Após os dois tenebrosos “Castlevanias” do Nintendo 64, a Konami resolveu tentar novamente um “Castlevania” em 3D, agora na geração 128 bit. “Lament of Innocence” prometia uma volta às origens, como todo jogo que nasceu 2D e não deu certo em 3D. E realmente o jogo trouxe alguns elementos dos jogos antigos, como os itens especiais, um Belmont como protagonista, o famoso chicote.

Primeiras partes do game

Mesmo assim, não existiam fases. O castelo deveria ser explorado igual ao “Castlevania Symphony of the Night” e a todos os outros estilo “Metroivania”. Em “Lament of Innocence” não havia níveis de experiência, mas, na verdade, isso só estava mascarado no jogo. Você não ganhava pontos por matar inimigos para habilitar novos golpes, mas ganhava novos golpes depois de um certo número de inimigos derotados… Entendeu? Dá quase na mesma, só não aparece seu nível ao pausar o jogo.

O castelo era um pouco repetitivo… vários corredores retangulares eram idênticos, e o fato de o jogo ser em 3D deixava a exploração muito mais lenta. A pouca variedade de golpes deixava-o também um pouco cansativo. Num console onde existem jogos como “God of War”, “Devil May Cry” e “Prince of Persia”, esse “Castlevania” ficou devendo.

Tema de Leon Belmont

Um fator que incentiva a jogá-lo é a trilha sonora e a história, ambas bem trabalhadas. Com um código é possível jogar o game com Joachim. Ele tem uma defesa mais fraca, mas seus ataques especiais são bem apelativos, para compensar.

Resumindo, se você for fã da série, deve conferir o jogo. Caso não curta tanto, existem outros jogos no PS2 melhores para te entreter.

EM BREVE…

Não perca, “Castlevania Bloodlines” e “Castlevania: Portrait of Ruin”.